O Sol e Sua Pele

Muitos de nós desfrutamos os benefícios que o sol pode trazer e nos sentimos melhor e mais felizes quando o sol brilha, é por isso que a grande maioria das pessoas saem de férias em busca de climas mais quentes.

Mas a dura realidade é que os raios ultravioletas emitidos pelo sol podem ser extremamente prejudiciais para nossos corpos e como o envelhecimento prematuro da pele, cânceres de pele e danos aos olhos (incluindo catarata). Eles também atingem o sistema imunológico, reduzindo sua capacidade de combater essas e outras condições.

A radiação ultravioleta (UV) faz parte do espectro eletromagnético (luz) que atinge a terra através do sol. Suas ondas são mais curtas do que a luz visível, e por este motivo que os raios UV são invisíveis a olho nu.

Esses comprimentos de onda são, então, classificados em raios UVA, UVB ou UVC. UVC possui os comprimentos de onda mais curtos e são absorvidos pela camada de ozônio; portanto, não atingem a superfície da terra.

Os raios UVA e UVB, por sua vez, penetram na atmosfera terrestre e exercem um efeito físico sobre a pele.

Os raios UVA são responsáveis por até 95% da radiação UV que atinge a superfície da terra e penetram na pele mais profundamente do que os raios UVB, atingindo até as camadas dérmicas da pele, produzindo  o bronzeado e sendo predominantemente responsável pelo envelhecimento da pele e pelas rugas, podendo levar ao desenvolvimento de cânceres de pele.

A radiação UVB é quase totalmente absorvida pelas camadas epidérmicas mais superficiais que causam a vermelhidão da pele ou queimaduras e também pode levar ao desenvolvimento do câncer de pele.